Quando foi lançado em 1998, o Fiat Marea tinha a missão de substituir o bem sucedido Tempra no mercado brasileiro. O carro tinha visual agradável, bom acabamento e uma mecânica moderna e sofisticada. Aí que estava o problema. “O Marea ganhou fama de ‘bomba’ por causa de um erro no manual do proprietário, no qual era informado que o óleo deveria ser trocado a cada 20 mil km, o que fez muitos motores apresentarem problemas”, diz o analista de sistemas Gustavo André Branco, 31 anos, administrador da página Jeremy Clarkson da Depressão no Facebook.

 

Além da época

O Marea tinha o mesmo padrão dos modelos europeus, mas a gasolina brasileira tem adição de álcool (22% na época), demandando ajustes que não eram feitos. Muitos veículos tiveram o motor fundido por formação e acúmulo de borra. Além disso, as revisões eram caras e muita gente não fazia nas autorizadas.

“É um carro que era muito avançado para época dele e sofreu com isso. Chegou com um motor com muita tecnologia em uma época que poucos mecânicos tinham conhecimento sobre sensores e outras tecnologias”, diz.

 

Virou chacota

O sedã da Fiat é um dos alvos principais da página, o que chegou a ofender alguns proprietários. “Mas a maioria leva numa boa e até entra no clima. Muita gente publica o próprio carro nos comentários para fazer piada e entrar na brincadeira”, diz Gustavo.

Um desse proprietários é Robson Kichler Bueno, gerente de macrodrenagem de 33 anos. Ele tem um Marea HLX 1999 com motor 2.0 de cinco cilindros e 142 cv.

“Sabia das piadas e da tal fragilidade quando comprei. Foi através de vídeos no YouTube com mecânicos especializados em Marea que vi os prós e os contras do carro. Daí um certo dia apareceu para comprar um como eu queria e disse: ‘quer saber? Azar'”, afirmou.

Ele conta que comprou o carro já com o motor ruim, mas não chegou a andar assim com ele. “Investi uma boa quantia de dinheiro na parte mecânica, mas depois de ter feito isso nunca me deu problemas”, diz. “Já havia procurado mecânico assim como um pai procura um pediatra quando nasce um filho”, afirma Bueno, que não se arrepende de ter escolhido o Marea.

“É um prazer cada vez que saio com ele para ouvir aquela sinfonia dos cinco cilindros em funcionamento”, relata.

 

História

Procurada, a Fiat não se pronunciou sobre os problemas do Marea, descontinuado em 2007. O modelo foi lançado em 1998 nas versões sedã e perua, a Weekend, que saiu de linha em 2006. Além do 2.0, houve uma versão 2.4 de 160 cv, uma 2.0 turbo de 186 cv, um 1.8 de 132 cv e um 1.6 de 106 cv.

Leia também