Os inquilinos que querem negociar o valor do aluguel na renovação do contrato têm encontrado um ambiente favorável na crise. Especialistas mostram os caminhos para conseguir uma boa negociação.

Uma conversa franca antes de o contrato fazer aniversário é o mais indicado para conseguir o congelamento ou até a diminuição do preço. Ser pontual nos pagamentos e manter a conservação do local são as principais dicas de José Augusto Viana Neto, presidente do Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis), para uma negociação bem-sucedida. “Os proprietários veem com bons olhos estas ações”, diz.

 

Carta na manga

Saber o preço do aluguel de imóveis próximos ao atual, sobretudo no mesmo padrão de onde mora, também pode ajudar na hora de o inquilino renegociar o contrato. Esse é um outro bom argumento a favor quando se quer conseguir um desconto.

Dados do Creci-SP mostram que o preço médio do aluguel em São Paulo é de R$ 1.200 mensais. Casas na região de Jabaquara e Mirandópolis (zona sul) são as mais em conta, com acordos médios de R$ 464,29.

O advogado Rodrigo Karpat, especialista em direito imobiliário, concorda que o cenário é oportuno para conseguir descontos. “Em momentos atípicos, como a crise, o valor do aluguel tende a cair ou a ter a negociação facilitada”, diz.

Viana fala que os donos dos imóveis preferem não reajustar o valor do contrato a perder um bom inquilino. “Está muito arriscado deixar o imóvel vazio. E ninguém quer arcar o IPTU do próprio bolso”, comenta.

 

Para ganhar desconto

Está mais fácil conseguir negociar o preço do aluguel de um imóvel em São Paulo. A Pesquisa de Valores de Locação Residencial do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) mostra uma queda de 0,62% nos valores, nos últimos 12 meses.

O IGP-M, índice mais comum de ser utilizado no reajuste dos contratos de aluguel, fechou em 10,79% no mesmo período. Levantamento do Creci-SP mostra que, nos nove primeiros meses deste ano, os contratos de locação tiveram alta de 3,14%, enquanto o IGP-M ficou em 8,29%.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *