Da redação

Alimentos ricos em gorduras, muitas vezes, são relacionados às doenças gástricas e cardíacas, além de receberem a culpa pelos quilos a mais, sendo os primeiros a serem excluídos das dietas.  O que muitos não sabem é que as gorduras têm importante papel na pirâmide nutricional e são imprescindíveis para o bom funcionamento do corpo de maneira geral. Docentes do Senac e especialistas em nutrição comentam o que é mito e o que é verdade e explicam qual a melhor maneira de consumi-las.

Gordura é tudo igual – MITO

As gorduras se diferenciam em duas categorias principais, insaturadas, conhecidas como “gorduras boas”, e saturadas, nomeadas popularmente como “gorduras ruins”.

Maria Helena de Andrade, docente do Senac Taboão da Serra, explica que as gorduras insaturadas se dividem em dois subgrupos, monoinsaturadas e poli-insaturadas, e diz que ambas possuem papel importante para uma vida saudável, por melhorarem a estrutura das células e auxiliarem o corpo na absorção de vitaminas A, D, K e E. Azeite de oliva, nozes, amêndoas, peixes, chia e abacate são exemplos de alimentos nos quais esse tipo de gordura é encontrada.

As saturadas, embora sejam conhecidas como ruins, também são importantes elementos na dieta diária, porém, devem ser consumidas com moderação, pois podem aumentar o colesterol, se alojar nos vasos sanguíneos e provocar doenças cardíacas, como o infarto. Alimentos como manteiga, banha, toucinho, carnes e derivados, leite e laticínios integrais são fonte de gorduras saturadas e, em excesso, podem causar impactos negativos na saúde.

As gorduras trans, por sua vez, são um tipo de gordura desenvolvida por meio de processos industriais dos alimentos e que potencializam o LDL (colesterol ruim) e reduzem o HDL (colesterol bom), aumentando o risco para as doenças cardiovasculares e até câncer. São encontradas em produtos industrializados e superprocessados, como bolachas recheadas, fastfoods e alimentos prontos e congelados, como lasanhas e molhos.

Gorduras boas não são gostosas – MITO

Existem muitos alimentos fontes de gordura insaturadas de fácil acesso e que, se bem combinados e preparados, resultam em pratos deliciosos. “O abacate é uma boa opção para salada ou vitamina. As oleaginosas, como castanhas de caju, castanha do Pará, amêndoa e pistache, também podem ser inclusas para variar o cardápio. O azeite com ômega-9 e os peixes, como salmão, atum, sardinha e truta, contêm boas doses de ômega 3 e são opções muito saborosas. Já a linhaça e chia, que são ótimas fontes de antioxidante, vão bem no iogurte ou por cima de saladas”, recomenda Lúcia Brito, especialista em nutrição e docente do Senac Osasco.

Gordura em excesso faz mal à saúde – VERDADE

Como qualquer outro alimento consumido em excesso, as gorduras são perigosas quando consumidas de forma exagerada. Segundo a docente do Senac Santos, Andrea Asorey, existe uma convenção sobre percentuais médios para consumo de cada um dos tipos de gorduras necessárias para o organismo, indicando os limites de saudabilidade. “Eles se baseiam em relação ao total energético (calórico) consumido. Por exemplo, em uma dieta de 2 mil calorias, 7% desse total deve ser de gorduras saturadas (140 calorias) e de 20 a 30% de gorduras insaturadas (de 400 a 600 calorias)”, explica.

As gorduras trans, no entanto, não são indicadas ao consumo diário, “uma vez que são tão ou mais prejudiciais à saúde quanto às gorduras saturadas”, reforça Maria Helena.

Parar de consumir gorduras emagrece – MITO

Para reduzir medidas é necessário combinar dieta balanceada e rotina de exercícios físicos. Só a exclusão de gorduras pode causar efeito contrário ao desejado, isso porque as gorduras são essenciais para o estoque de energia do organismo, assim como também é um ingrediente básico para a manutenção de várias funções do corpo, podendo agir como anti-inflamatório, participar da produção de hormônios e ainda marcar presença na hidratação da pele. “Excluir esse nutriente da alimentação diária não só faz mal ao organismo, como pode prejudicar a perda de peso”, explica Lúcia.

Chocolate contem gorduras boas – VERDADE

O chocolate amargo é fonte de gorduras boas, isso se dá por sua composição rica em cacau, sendo assim é um alimento importante na dieta nutricional. A docente Andrea explica que se o chocolate não tiver gorduras trans e aditivos alimentares, ele pode sim ser uma opção saudável para fazer parte da dieta. “Obviamente, esse consumo deve acontecer sem excessos”, pondera.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *