Da redação

Todos os seres humanos estão sujeitos ao envelhecimento e, por lógica, seus órgãos, veias e artérias também. Assim, quanto mais idoso o indivíduo, mais rígidas suas artérias ficam, certo? Depende. O cirurgião vascular, doutor Gilberto Narchi Rabahie, explica como a diferença de idade pode acontecer e dá dicas para prevenir.

“A diferença básica é a capacidade elástica ou complacência do vaso”, afirma. O vaso mais novo possui maior resistência. Já o mais velho, se torna mais rígido, e quanto mais enrijecido for, maior o será o trabalho do coração para “vencer” a pressão, causando desgaste precoce, do coração e, diretamente, dos vasos.

Segundo o especialista, a falta de controle de diabetes e a hipertensão arterial podem apresentar o enrijecimento precoce das artérias. “Sedentarismo, tabagismo e a ausência de manutenção de peso adequado também contribuem para a diferença de idade”, acrescenta doutor Gilberto. “Não se prevenir e não tratar a rigidez pode ocasionar, precocemente, doenças cardiovasculares como infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral, entre outros”, completa.

Para medir a capacidade da parede arterial, o VOP (Velocidade da Onda de Pulso) é um método que apresenta, de forma não invasiva, a rigidez da parede arterial. “Com este exame podemos fazer um diagnóstico precoce e com o tratamento adequado, retardarmos a rigidez dos vasos, igualando, por assim dizer, as idades para evitarmos suas complicações”, afirma o cirurgião vascular.

A dica do doutor Gilberto para evitar a grande diferença entre a idade cronológica e a das artérias é estar atento aos resultados de, principalmente, diabete e hipertensão, nos exames de rotina, e praticar atividades físicas.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *