A tireoide é uma glândula que fica na parte frontal do pescoço e é responsável pela produção de hormônios que regulam o metabolismo de todo o organismo. Por isso, ela é considerada a “maestrina” que rege o funcionamento de todos os órgãos. E quando ela falha, todo o organismo sente.

E o pior, os sintomas de seu mal funcionamento podem ser confundidos com outras doenças. Os principais distúrbios da tireoide são o hipertireoidismo, que acontece quando há excesso de produção de hormônios, e o hipotireoidismo, quando o que ela produz é insuficiente. Em ambos os casos, a origem está em uma ação do próprio organismo que produz anticorpos que atacam a tireoide.

Os distúrbios

Os sintomas do hipo e do hipertireoidismo são bem distintos e podem se intensificar de acordo com a idade.

Segundo a endocrinologista Laura Ward, presidente do Departamento de Tireoide da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, no caso do hipotireoidismo, por exemplo, as crianças reclamam mais de excesso de sono e não querem brincar ou ir para a escola. Já para quem tem mais de 50 ou 60 anos, muito comum os sintomas serem confundidos com depressão.

“A intensidade dos sintomas depende do organismo de cada pessoa”, afirmou Laura.

Já no hipertireoidismo, os sintomas são o contrário, como agitação, perda de peso, insônia e irritabilidade e até arritmia cardíaca. Outros distúrbios da tireoide são os nódulos e o bócio.

De acordo com a endocrinologista Rosália Padovani, especialista na doença, para diagnosticar as alterações no funcionamento da tireoide é necessário fazer um exame de sangue. Se confirmado o diagnóstico, deve entrar com medicação para controlar os níveis de hormônio.

Para as grávidas

As mulheres que têm hipotireoidismo e que pretendem engravidar devem aumentar a dose de hormônio que normalmente tomam, segundo a endocrinologista Laura Ward.

Isso porque até a 12ª semana de gestação o feto não tem tireoide e dependem do hormônio da mãe. Entre a 16ª e a 18ª semanas que a glândula se forma e começa a produzir os hormônios, importante para o desenvolvimento.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *