Na última segunda-feira, 27, uma decisão liminar suspendeu a cobrança de tarifas diferenciadas do vale-transporte na cidade de São Paulo e reestabeleceu os quatro embarques ao invés de dois – medidas adotadas pela gestão municipal para o serviço de transporte público.

A prefeitura não recebeu a decisão com ‘bons olhos’ e informou que vai recorrer. O prefeito Bruno Covas (PSDB) enfatizou que o vale-transporte é uma obrigação das empresas e o valor que pretende cobrar é do custo do sistema.

“Não tem sentido a prefeitura colocar recurso que é do povo da cidade de São Paulo para pagar uma obrigação que é das empresas. Vamos recorrer para não ter que utilizar R$ 650 milhões por ano”, falou o prefeito, segundo noticiou a Agência Brasil.

 

Merendas vencidas

Qual a garantia que os pais dos alunos das escolas estaduais de São Paulo terão em relação à qualidade da merenda oferecida aos seus filhos, após o TCE (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) encontrar alimentos com data de validade vencida?

Na última terça-feira, 28, o Tribunal realizou uma operação surpresa em 257 escolas e encontrou alimentos vencidos em 10% delas. Chamou a atenção do TCE que algumas unidades – fiscalizadas no ano passado – continuam a apresentar o mesmo problema.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *