Seja para cobrir os fios brancos ou para mudar a tonalidade, tingir o cabelo em casa exige cuidado e tempo. Mas o resultado pode ficar excelente.

A atriz Grazi Massafera, recentemente, postou uma foto no Instagram mostrando que fez mechas no próprio cabelo. Mas para conquistar um bom resultado é necessário ler com atenção os passos descritos pelo fabricante do produto escolhido e segui-los à risca.

 

Primeiro passo

Gimena Figueroa, hair stylist do salão Eternna Beauty Center, afirma que a primeira coisa a fazer é decidir o tipo e a cor da tintura. “Existem dois tipos de tintura no mercado: as colorações e os tonalizantes”, explica Gimena.

“As colorações têm formulação mais forte e, por isso, duram mais tempo. Já os tonalizantes não possuem amônia e são menos agressivos ao fio”, diz a especialista.

A estudante Andrezza Ayoub, 25 anos, pinta o cabelo sozinha desde os 15 anos. “É mais barato fazer em casa”, diz.

 

Para não se enganar

É preciso saber também que a cor de cabelo que aparece na embalagem não indica, necessariamente, que essa será a cor final.

“Se os fios não tiverem tintura, é mais fácil conseguir chegar no mesmo tom da caixa. Do contrário, é importante somar a cor dos fios atuais com a da caixa, o que dará um tom mais escuro, provavelmente”, ensina Gimena.

A cor é a principal diferença entre pintar em casa ou no salão. “No salão, dá para misturar vários tons. Em casa, as pessoas usam apenas um.”

Diones Ferreira, cabeleireiro do Diones Hair Styler, dá uma dica interessante para quem tiver medo de errar. “Indico que a pessoa escolha dois tons mais claros ou dois tons mais escuros do que o cabelo original”, diz Ferreira.

 

Vale a dica

A também estudante Flávia Pereira Santana, 22 anos, colore o cabelo desde os 13 anos.

“Uma vez, pintei de vermelho e não conseguia mudar. Aí, só o preto cobriu, cor que uso até hoje”, comenta.

Ela dá uma dica para quem vai pintar os fios: “Use roupa velha, a tinta pode manchar”.

Leia também

Deixe uma resposta