O brasileiro se acostumou com a máxima “depois do Carnaval o país engata”. Pois estamos na Semana Santa. E essa semana foi bem conturbada. Muitas notícias ruins. Do ponto de vista econômico, do ponto de vista político – até mesmo do ponto de vista humano e histórico.
As manobras dos deputados na CCJ em Brasília é de dar embrulhos nos estômagos mais experientes.
Como é que pode, fica a pergunta no ar, que legisladores eleitos para defender os direitos da população fiquem brincando com o futuro das pessoas desta forma?
Como pode, os “nobres deputados” conduzirem a discussão de forma tão jocosa, tão esdruxula, de maneira que até mesmo os aliados fiquem claramente expostos ao jogo de interesses do toma lá dá cá de Brasília?
Enquanto isso, milhões de brasileiros aguardam de forma esperançosa a economia reagir. Porque precisam reaver suas vidas. Precisam de emprego. Precisam retomar o consumo de alguma forma.
Como é que esses cidadãos – esses deputados – conseguem fazer esse tipo de chicana e seguir impunes? Eles deviam ser presos por minuto que essa reforma é adiada por conta de chacrinha nessa comissão.
O Brasil é o país do impensável. Está ficando cada dia mais impensável.
Essa semana, a imprensa foi censurada pela mais alta Corte do Judiciário. O STF (Supremo Tribunal Federal) deveria julgar erros e crimes – não investigar cidadãos e instituições. Está tudo completamente desvirtuado.
E a população não tem a quem recorrer. Quem vai conter os desmandos da mais alta Corte do Judiciário? Fica a pergunta no ar. Sem resposta.
Como a população combate tudo isso? Uma população que está nas mãos de um sistema corroído economicamente, caminhando à beira do precipício, flertando com o abismo – onde os responsáveis pouco se lixam porque para eles o resultado não se altera.
Como a população lida com a censura? A indignação basta? Cobrar patriotismo desses “nobres” legisladores basta?
Como cobrar?
Sim, porque essas criaturas todas – deputados e juízes – se acham acima do bem e do mal. Acreditam que são superiores até mesmo a Deus. E pensam que o povo, bom, o povo deve a eles a vassalagem.
O brasileiro precisa enxergar tudo isso com muita preocupação. É mais do que passada a hora de a população reagir diante destes abusos.
Porque sinceramente. Não existe politicamente correto que dê jeito em censura. Muito menos em chicana de deputado tosco. Chega disso tudo!

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *