Essa semana que passou foi cheia de análises, mais brigas entre parentes e amigos – infelizmente, teve até gente que morreu por conta de divergência política.

Mas nós precisamos focar nas boas notícias que as urnas trouxeram. Elas não foram poucas.

É olhar com bastante carinho para as mudanças que aconteceram nos Legislativos. Seja no Congresso Nacional, seja nas Assembleias Legislativas. Apesar do triste hábito de eleger pessoas despreparadas, dessa vez, também foram eleitos grandes nomes.

Pessoas com boas intenções, pessoas que estão chegando com vontade de arregaçar as mangas e fazer diferente. Essas pessoas injetam uma esperança extra nos cidadãos.

Em muitos Estados, políticos antigos – muitos deles investigados, alguns réus – tiveram seus mandatos recolhidos pelo eleitor. Muitos coronéis ficaram de fora e perderam o escudo da imunidade parlamentar. Agora, são “cidadãos comuns”. A eles, que a Lei se aplique.

A ex-presidente Dilma Rousseff, que procurava conseguir com os cidadãos mineiros o indulto do cargo de senadora pelo Estado, ficou “chupando o dedo”. Infelizmente, os mineiros deram o passe livre para Aécio Neves, mas ele precisou se contentar com o rebaixamento de senador para deputado federal.

Muitos dos que foram reeleitos passaram raspando. Viram seus votos minguarem. Receberam uma mensagem muito clara dos seus eleitores: “meu querido, abre o olho, tua batata está assando”.

Não tem como fechar os olhos para essas boas notícias. Não tem como deixar de perceber essa grande e boa mudança. O brasileiro está sim, começando a levar em conta a questão dos valores na hora de votar.

Se alguns políticos com passado questionável ainda conseguem seu lugar ao sol, é porque têm uma militância engajada – que acaba por garantir o número de votos.

Mas o fato é que aquele jeito velho de se posicionar, a postura falsa – que o cidadão não aceita mais – tudo isso está refletido nesse resultado do último domingo.

Quem ainda se elegeu, precisa colocar as barbas de molho e fazer uma série de mudanças. Caso contrário, está com os dias contados.

Ainda não acabou. A eleição majoritária vai demandar dos paulistas mais um encontro com as urnas – e mais um tempo de desgaste com a disputa polarizada que tomou conta do Brasil.

É triste ver o país dividido entre extremos tão “extremos”. Só que existem boas notícias. Existe esperança. E a Democracia está aí, inquestionável e absoluta.

Categoria:

Leia também