Quais serão as mudanças que ainda virão na esteira do tempo para a prática do jornalismo?

O Brasil representa vasto campo para uma “análise de cenário”. Desde que as redes sociais caíram no gosto popular, os jornalistas e os donos de veículos de imprensa estão sentindo na pele aquilo que pode ser o reflexo de uma grande modificação de costumes.

Os meios impressos estão minguando, sejam revistas ou jornais. O papel se tornou um insumo extremamente caro – e toda a operação é insustentável quando não existe um grande mecanismo que sustente a circulação.

Jornais tradicionais amargam os piores resultados nos últimos anos. Outros, infelizmente precisam conter sua circulação e passar aos meios digitais – restruturando o modelo de negócios para sobreviver em meio à nova realidade.

É o caso recente do Jornal do Trem & Folha do Ônibus. Nos últimos meses, amargamos a triste missão de interromper a circulação semanal dos cinco títulos que totalizavam 250 mil exemplares todas as sextas-feiras.

Foram semanas pensando em novas formas de manter vivo o jornal criado por nosso pai – e que nunca teve nenhum “respaldo” de nenhum grupo político.

Aos poucos, o novo modelo vai se tornando palpável. Sim, permanecemos online, semanalmente. E ainda circulamos em edições impressas sob demanda de nossos clientes mais que especiais. Esse, o anunciante – que sempre viabilizou a nossa existência – segue no centro dos nossos projetos (junto com os nossos leitores, claro).

Essa é a maneira de manter íntegro o nosso trabalho.

São novos tempos e novos tempos pedem novas atitudes.

Agora, essas novas atitudes precisam ser balizadas por Valores. De nada adianta pensar em novas atitudes e comprometer o jornalismo.

Jornalistas precisam fazer seu trabalho com honra. É mais que fundamental questionar os rumos desta profissão. Para onde vai o jornalismo que pretende formar a opinião de um povo de maneira tendenciosa? Esse jornalismo está fadado ao fracasso, condenado. Porque o povo já entendeu que pode ter acesso à verdade por si. Então não adianta querer enfiar verdades fabricadas em sua garganta.

O Jornal do Trem & Folha do Ônibus segue aqui, restruturando sua realidade e lutando as boas lutas. Essa é nossa missão – da qual temos (e sempre teremos) muito orgulho.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *