Tayonara Géa

Nos últimos tempos, muitas mães começaram a relatar que a maternidade não é um ‘mar de rosas’. Ao tentarem desmistificar a maternidade, elas relataram estar cansadas, dormir mal, não ter tempo para se cuidar e a ausência de momentos de lazer.

Alguns relatos assustaram muitas mulheres que sonham em ter filhos. Mas será que a maternidade se resume apenas à preocupação com os seus descendentes? A resposta é ‘não’. O ‘ser mãe’ tem as suas responsabilidades, mas traz uma alegria incontestável e um amor incomparável quando deixa de ser uma obrigação e torna-se um prazer.

A maternidade não é um bicho de sete cabeças. Há sempre uma maneira de contornar as dificuldades e viver intensamente a alegria de ser mãe.

Simplesmente, sublime

A maternidade é uma das dedicações mais gratificantes da vida porque somada às responsabilidades está a alegria, o amor, o zelo, o querer sempre bem. Para muitas mulheres, ser mãe é a realização de um sonho porque ao conceber um filho, elas conhecem o verdadeiro e puro amor que é transmitido espontaneamente.

Para Carla Rossi, mãe do Miguel e do Caio, a maternidade é o presente mais lindo e valioso que Deus pode conceder a uma mulher.

“A maternidade é um momento mágico e que não se explica. Tudo é resumido em um amor que se transborda”, diz.

Ana Cláudia Oliveira compartilha o mesmo sentimento ao falar da filha Fernanda, 5 anos. “Não há sensação que se compare. Nada me traz mais felicidade do que cuidar de alguém que foi tão desejado e tão amado desde o instante em que foi concebido”, fala.

Realidade e mudança

Não há de se negar que a maternidade, nos dias de hoje, está alinhada ao trabalho externo, aos afazeres do lar e ao papel de esposa. Tudo isso traz desgaste físico e emocional à mulher, o que pode levá-la a não enxerga os prazeres de ‘ser mãe’.

“Estudos comprovam que as mulheres estão mais estressadas que os homens devido às diversas jornadas. Sendo assim, se as mães não realizarem ações que gerem emoções positivas no seu dia a dia, o estresse vai tomando conta e ela, sem que perceba, não consegue se focar na alegria da maternidade”, esclarece a psicóloga Miriam Rodrigues.

Tatiane Horta, mãe dos gêmeos Pedro e Lucas, 11 meses, e da Giovanna, 5 anos, relata que alguns momentos são difíceis, mas que tudo pode se acalmar quando os filhos estão por perto.

“Tem momentos que parece que vou pirar, mas vem aquele sorriso e abraço, e tudo passa”, declara.

Resgate a alegria

Quando a mulher deixa de ver a maternidade como uma obrigação diária, a alegria transborda e torna o ‘ser mãe’ especial e prazeroso, como define Pamela Morelo, mãe do Miguel, 6 anos.

“A alegria da maternidade está em aproveitar cada momento da vida do Miguel, curtindo os momentos simples do dia a dia, como fazer a lição da escola juntos, jogar bola depois da aula, brincar de desenhar e de pique-esconde, assistir desenhos, entre outros”, relata.

Miriam explica que trazer atenção ao momento presente é uma maneira de resgatar a alegria da maternidade no dia a dia.

“Ao compartilhar momentos alegres e emoções positivas (serenidade, gratidão), a mãe fortalece o amor e a relação com o filho. É realmente parar, ter a intenção de compartilhar, colocar na rotina os abraços, os banhos de sol, as brincadeiras junto ao filho. Não fazer isso no sentindo de que está fazendo como uma obrigação”, fala a psicóloga.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *