Da Redação

 

O Dia dos Namorados está batendo à porta. Na próxima quarta-feira, 12, casais apaixonados se presenteiam e celebram a data. No entanto, muitas pessoas podem estar descrentes no amor e para elas, esse dia é como outro qualquer.

Mas por que não acreditar no amor? Vários motivos podem explicar essa desilusão, como o fim de um relacionamento intenso, uma relação conturba pelo ciúme e desconfiança ou uma traição.

No entanto, há um velho ditado que diz: “nada como um dia após o outro”. Sim, você pode amar novamente, engatar um relacionamento bacana e conhecer uma pessoa super especial. Acredite nisso, dê uma nova chance ao seu coração.

 

Dando a volta por cima

Superar o fim de um relacionamento não é uma tarefa fácil, principalmente quando um dos envolvidos ‘entra de cabeça’ na relação. O coração fica apertado, o pensamento insiste em lembrar-se de quem se foi, e a incerteza de que outra pessoa poderá curar a ferida é muito grande.

O tempo é um aliado nesse momento, porém é importante entender que não se pode criar uma barreira nesse sentimento tão sublime que é o amor. É preciso deixar o coração agir, conhecer outras pessoas e acreditar que tudo pode ser diferente.

“Quando escolhemos ficar com alguém é de fundamental importância que deixemos de lado coisas ruins que aconteceram em outros relacionamentos. A partir de agora, se formará uma nova história com outros personagens. Descomplique-se”, fala a psicóloga clínica, Claudineia Sartori.

 

Pode ser diferente

Analisar porque o relacionamento passado não deu certo e tentar corrigir os ‘possíveis erros’ é um grande passo para engatar o novo romance.

“Admitir o erro não é uma tarefa agradável para qualquer pessoa. Assim como na vida, admitir que erramos quando estamos em um relacionamento por vezes é muito difícil. Porém, é de fundamental importância assumir os erros e saber que não somos perfeitos, mas inteligentes o suficiente para desejar mudar. Vale muito a pena para si e para a pessoa querida”, alerta a psicóloga.

O ciúme – ah, esse tal ciúme – é um dos grandes problemas em um relacionamento. “Ele vem acompanhado de brigas e desarmonia, levando à insegurança, incerteza e principalmente a tristeza. Todos estes sentimentos são desnecessários. Antes de imaginar uma série de coisas que possam estar acontecendo procure falar e ouvir. Limpar os ruídos é a melhor maneira de não deixar o ciúme florescer”, comenta Claudineia.

 

Um dia de cada vez

Viver intensamente um relacionamento não significa atropelar as fases do conhecimento. É preciso estar ciente de cada etapa precisa estar consolidada, o que vai fortalecendo o namoro diariamente.

“Curtir a vida de maneira leve e suave é sempre muito revigorante. No relacionamento, aproveitar cada fase faz com que a construção deste seja algo bom e agradável. Vivencie conhecendo e se re-conhecendo, procurando descobrir se é este o tipo de relação que se deseja”, alerta Claudineia Sartori.

A psicóloga também explica outro aspecto que necessita ser ressaltado no encontro entre duas pessoas: a compreensão do significado de compartilhar.

“Estar junto é compartilhar. Para que isto ocorra, em alguns momentos é necessário abrir mão de determinados conceitos, ideias ou mesmo manias. Isto não quer dizer anular-se, muito pelo contrário, é aprender a ceder no momento certo. Nesta equação deve ser levado em conta que ceder é responsabilidade dos dois, quando alguém está cedendo demais, a relação não está saudável”, diz.

 

Você e a sua história

O amor entre duas pessoas não deve anular a individualidade que cada uma delas precisa ter para construir a própria história. Pelo contrário, em alguns momentos serve para solidificar ainda mais o relacionamento.

“Quando decidimos ficar com alguém queremos dividir nossa história, porém continuamos a escrevê-la. Lembrando que em alguns momentos necessitamos ficar sozinho, ter nossos amigos e manter as particularidades. Quanto mais este encontro com o nosso interior, mais aberto estaremos para dividi-lo com alguém”, ensina Claudineia.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *